20 de mar de 2013

Revolução e Besteiras - Parte 2

Olá, leitores, como vão? Vamos continuar falando sobre Revolução e Besteiras? Sim? Beleza, então. Hora de prosseguir refutando os "mandamentos do reacionário perfeito", ou melhor, como diria o meu amigo Antonio Amaral (marxista roxo (!)), o "guia do idiota perfeito".

Paramos no 16, vamos ao 17:

17- Reserve pelo menos uma hora, durante as festas de aniversário de seus filhos, para aquela roda em que alguns contam piadas sobre padeiros portugueses burros, negros primitivos, judeus e árabes sovinas, gays escrachados e índios canibais. É necessário, para reforçar a coesão da comunidade burguesa “cristã-velha”!

Aqui, sendo sincero, nem tem muito o que comentar, especialmente porque esse tipo de visão não tem a ver com reacionarismo ou revolucionarismo, mas sim com esclarecimento. Além disso, temos de lembrar também que esse mesmo articulista imputa um monte de rótulos negativos ao "reacionário" sem dó nem piedade. Novamente, que falta faz olhar para o próprio rabo algumas vezes!

18- Quando forçado a conversar com pobres, tente parecer um grande doutor, empregando seguidamente expressões estrangeiras; se um subalterno for inconveniente ou falar demais, dispare sem hesitar: “Fermez la bouche!” .

1- Novamente, é um exemplo quase fictício, e só se aplica a débeis mentais, não necessariamente a reacionários. Como eu disse, débeis mentais existem em qualquer lugar e grupo político, rs.

2- Quando forçado a conversar com mídia burguesa, recuse-se a dar entrevista e mande-os à merda. Familiar, não?

19- Seja sócio de um clube tradicional, ainda que falido, e se possível ocupe uma de suas diretorias, mesmo que totalmente irrelevante. Manifeste-se sempre contra a entrada no quadro social de emergentes sem diploma e outros tipos sem classe.

Novamente, não é reacionarismo, é preconceito ou manutenção de algum status quo do clube. Próximo.



20- Jamais ande de trem ou de ônibus. É a suprema degradação, comparável somente a ser açougueiro na sociedade absolutista.

Idem ao item 19. Além disso, segundo esse mesmo artigo, não há relação necessária entre reacionarismo e alta sociedade, afinal, se "reaça" é qualquer um contra "filho de pobre entrar em universidade" (frise-se bem as aspas), temos "reaças" em todas as classes. Logo, C.Q.D., até agora nada de reacionarismo.

21- Obrigue todo empregado doméstico que venha a cair sob suas ordens a comprar uniforme e usá-lo diariamente, impecavelmente lavado e passado. Afinal, para que serve o salário mínimo?

Isso ocorria mais com alguns patrões na época de juventude da minha mãe, ou seja, há 30 ANOS. Além disso, continuo dizendo, reacionarismo não é preconceito. Parem de gritar "reacionarismo" em situações em que o que existe é ignorância pura e simples.

22-Jamais escute música baiana de qualquer vertente, samba, forró ou cantores sertanejos. Uma vez flagrado, sua reputação de homem civilizado estaria arruinada.

Curioso (e, novamente, preconceito não é reacionarismo, é ignorância), eu vejo gente DOS CINCO LADOS agindo desse jeito. Ó, serão todos um bando de "reaças-racistas-homofóbicos-conservadores-vá à merda", como diria o Ilmo professor Marcos Bagno?

23-Pareça o mais alinhado possível com o liberalismo do século XXI. Tendo preguiça de se dedicar a textos complexos, leia pelo menos “Não somos racistas”, de Ali Kamel, e o “Manual do perfeito idiota latino-americano”. Passará como intelectual para pelo menos 90% da juventude de direita.

1-Negar racismo não é reacionarismo, é burrice e ignorância.
2- Então o "reacionário" deve fazer como os esquerdistas, que vivem vomitando por aí as "jenialidades" que aprenderam com os grandes filósofos Madrilenha Shallwe e Vaidormir Safadle, digo, Marilena Chauí e Vladimir Safatle?

24- Morra virgem, mas nunca apresente como esposa, noiva ou namorada uma mulher que não caiba no estereótipo da burguesa cosmopolita, porém comportada.

Novamente, isso não tem nada a ver com reacionarismo, mas sim com manutenção de algum status quo. Melhor dizendo, não querer a ascensão social de alguém não é reacionarismo, é corporativismo, coisa da qual NENHUMA forma de governo está livre.

25- Faça eco aos discursos dos octogenários conservadores que constantemente repetem a fórmula “no meu tempo não era assim”, mesmo que saiba sobre inúmeras falcatruas e atrocidades “do tempo deles”. Quanto mais perto do Império e da República Velha, mais longe da contaminação esquerdista!

De fato, esse é um discurso reacionário, pois fala em volta a um tempo passado. O problema é que, ao contrário do que se diz, como as pessoas eram outras e a linha de pensamento do brasileiro era diferente, as atrocidades ocorriam, mas em número bem menor.

Ainda assim, pessoal, não é meio curioso que foi justamente durante o período em que a esquerda começou a dominar as universidades que o Império mesmo começou a ser demonizado? Pois é. Quantos de vocês, assim como eu, não foram apresentados a um D.Pedro II inerte, vagabundo e indolente, quando, na verdade, ele era um intelectual antiescravagista admirado, entre outros, por Darwin (que veio ao Brasil para começar a formular sua Teoria da Evolução) e Nietzsche (!)?

Creio que, dessa mentirada toda disseminada por esquerdistas antimonarquistass, o articulista não se lembra, não é?

26- Passe sempre adiante, para parentes, amigos e conhecidos, notícias forjadas na Internet, no estilo “Todas as mulheres de uma cidade do Ceará se recusaram a trabalhar numa fábrica de sapatos, porque já recebiam o bolsa-família”. Não importa se é impossível que qualquer pessoa com mais de quatro neurônios ativos acredite que uma cidade inteira tenha recusado um salário de pelo menos seiscentos reais por achar que vive bem com um auxílio de cento e cinquenta.

Apesar de ser uma atitude antiética e sensacionalista, nenhuma relação é guardada com o reacionarismo necessariamente. Próximo.

27- Repasse, igualmente, juízos de valor negativos sobre personalidades de esquerda, na linha “Michael Moore é mentiroso”, “Chico Buarque é um comunista hipócrita que vive no luxo”, “Dilma foi terrorista”, etc. É preciso dar continuidade à teatral associação entre reacionarismo e moralidade.

Aqui, apesar de eu não ser fã de tu quoque, tenho que dizer que, além de não ter porcaria nenhuma a ver com reacionarismo, especialmente porque nenhuma das pessoas citadas propõe qualquer REVOLUÇÃO, esse tipo de "difamação" é simplesmente o troco que a direita, que finalmente parece estar acordando para debater politicamente, quer dar na esquerda.

E também, convenhamos, não acho que seja o caso de associar reacionarismo e moralidade, mas sim associar revolucionarismo com Imoralidade, dando o troco naqueles que associam reacionarismo com Preconceito e Ignorância. Como diria meu amigo Luciano Ayan, é assim que funciona a guerra política, senhores.

28-Diante de qualquer texto ou discurso de esquerda, classifique-o imediatamente como doutrinação barata ou lavagem cerebral. Não importando sua eventual ignorância sobre o tema, é preciso fechar todos os espaços à conspiração gramsciana mundial.

Diante de qualquer discurso conservador, classifique-o imediatamente como um atentado aos direitos humanos. Não importando sua eventual ignorância sobre Conservadorismo, é preciso fechar todos os espaços à uma voz dissidente e democraticamente legítima.

Parecido, não é? E igualmente real.

29- Sustente a surrada versão de que “apesar dos erros, os milicos salvaram o Brasil do comunismo em 1964”. Desconverse mais uma vez se alguém perguntar como se chegaria ao comunismo através da provável eleição de Juscelino Kubitschek em 1965.

Pois é, cara, isso me surpreendeu muito. Agora, fontes, por favor, porque há várias que dizem que, sem a intervenção dos militares, no mínimo, o Brasil teria caído em um longo banho de sangue com guerrilhas entre direita e esquerda.

30- Deprecie ao máximo mexicanos, chilenos, peruanos, paraguaios, bolivianos, colombianos e demais hispânicos como caboclos de cultura atrasada. Abra exceção para argentinos ricos filhos de pais europeus, desde que estes se abstenham de chamá-lo de macaquito.

"Reacionarismo" não é igual a preconceito. Próximo.

31- Defenda o caráter sagrado da propriedade rural. Quando alguém recordar que as terras registradas nos cartórios do estado do Pará equivalem a quatro Parás, procure ao menos convencê-lo de que é uma situação atípica.

De fato, reconheço que muitos ruralistas o fazem, mas o caso é que, entre pessoas comuns, a birra é com a atitude muitas vezes desnecessariamente violenta dos Sem-Terra . Mesmo assim, reforma agrária não é indício concreto de revolução, logo, C.Q.D., reacionarismo inexistente.

32- Afirme com veemência que todo posseiro, índio ou quilombola em busca de regularização de terras é vagabundo, mesmo que seus antepassados estejam documentados no local há duzentos anos. Por outro lado, todo latifundiário rico sempre será um proprietário respeitável, ainda que tenha cercado sua fazenda à bala há menos de vinte.

1- AAAAAAAAAAAAAAAAAAAI MEU SACO, quantas vezes vou ter de repetir que não se deve gritar "reacionário!" para quem é pura e simplesmente um ignorante?
2- Mesmo assim, o que alguns comunistas esquecem é que nem todo declarado "índigena" o é de fato e que, por isso, essas concessões devem ser feitas com muito cuidado. Maaaas, isso não tem relação com reacionarismo, como eu já disse.

33- Denuncie nas redes sociais os ambientalistas que tentam embargar a construção de fábricas de artefatos de cimento em bairros superpopulosos e de depósitos de gás ao lado de estádios de futebol. Esses idiotas não sabem que nada é mais importante do que o crescimento do PIB?

Idem ao item 32.

34- Rejeite toda queixa que ouvir sobre trabalho escravo. É tirania impedir que alguém trabalhe em troca de água, caldo de feijão, laranja mofada e colchão de jornal, se estiver disposto a isto. Deixem a vida social seguir seu curso espontâneo!

Favor não confundir Reacionarismo com Anarcocapitalismo, especialmente porque um traço do Reacionarismo, que é a religiosidade, está praticamente ausente nos AnCaps.

35- Quando alguém protestar contra o assassinato de duzentos gays no ano Y, responda que outras quarenta mil pessoas morreram violentamente naquela temporada. Finja que é limítrofe e não entendeu que a cifra se limita aos gays mortos em decorrência desta condição e não aos que tombaram em latrocínios, brigas entre torcidas e disputas armadas por vagas de garagem.

Ok, isso aqui é meio difícil de se examinar, pois, enquanto conservadores exageram dizendo que não existe homofobia, eles também mostram relatórios que apontam que essas mortes de gays são mortes de todas as naturezas, não só por homofobia. Então, não vou tacar pedra aqui. Ainda assim, negar homofobia, meu caro articulista, NÃO É REACIONARISMO, pois não é uma volta a algum estágio anterior, exatamente porque, no nosso caso, voltar ao estágio anterior seria NÃO DISCUTIR a questão homossexual.

36- Acuse todo movimento constituído contra determinado tipo de opressão de querer promover a opressão com sinal contrário. As feministas, por exemplo, pretendem castrar os machos e colocar-lhes avental para lavar a louça e cuidar de poodles.

Nem mesmo quando esses grupos protestam contra a existência de um papa durante um conclave? Será mesmo que as minorias, por terem sofrido alguma opressão de ALGUMAS pessoas, podem passar dos limites desse jeito? Ah é, esqueci, elas não são reacionárias, assim como não necessariamente o é um anti-feminista, rs.

37- Enalteça “esportes e diversões” que favorecem o gosto pelo sangue, como arremesso de anões, rinhas de galo, pegas, caçadas em áreas de preservação ambiental, touradas, farras do boi e congêneres. Como já dizia seu patrono oculto Benito Mussolini, “o espírito fascista é emoção, não intelecto”.

Será talvez por isso que Stalin, o líder e genocida comunista, perseguiu todos aqueles intelectuais, como Bakhtin, que se opunham ao seu governo? Aliás, será que podemos então chamá-lo de fascista, pois foi um dos que mais matou o próprio povo? Afinal, segundo a lógica do articulista, fascistas gostam de sangue, não é?

38-Procure enxertar referências bíblicas nas suas falas sobre política. Ao defender um oligarca truculento, arremate a obra dizendo algo como “Cristo também jantou na casa do rico Zaqueu”. Tente dar a impressão de que qualquer um que venha a contestá-lo despreza pessoas religiosas.

E na maioria das vezes, desprezam. Além disso, cadê reacionarismo aí?

39-Apresente a todas as crianças que tiver ao seu alcance, antes dos dez anos, o repertório integral de Sylvester Stallone e similares, nos quais o árabe é sempre terrorista, o vietnamita um comunista fanático que jamais tira a farda e o hispano-americano batedor de carteira ou traficante. Tendo a chance, compre também Zulu, para a garotada aprender desde cedo que africanos são selvagens que correm em torno da fogueira sacudindo lanças de madeira.

Favor ler quase todas as minhas refutações neste e no outro post de novo.

40- Não permita que a política externa dos Estados Unidos seja criticada impunemente. Nunca se sabe quando o homem de bem precisará de um poder maior e talvez irresistível para defendê-lo do zé povão.

Não permite que o democrático governo cubano seja criticado impunemente. Afinal, nunca se sabe quando um comunista de bem precisará da ajuda deles para acabar de vez com os porcos capitalistas americanos.

Pois é, leitor, agora, onde está o reacionarismo aí é algo que eu não sei responder.


Bom, esse é o fim dessa interminável lista de besteiras. Peço desculpas por não ter refutado tudo detalhadamente, mas, como vocês puderam notar, ficou muito repetitivo depois de certo item. Aliás, acho que puderam notar também que, dos 40 "mandamentos", além de quase todos serem absolutamente falaciosos, no máximo CINCO eram de fato "reacionários". Ou seja, basicamente, quem criou a lista definitivamente está precisando estudar mais sobre as diferenças entre as correntes sociopolíticas, que eu expliquei no primeiro post.

Enfim, amigos leitores, despeço-me por aqui e adianto que, ainda nesta semana, haverá mais um post para vocês. Não adiantarei, no entanto, o conteúdo, mas creio que a espera valerá a pena.

Bom, é isso, espero suas críticas e mando-lhes meu forte abraço.

4 comentários:

  1. Já havia descoberto seu blog já faz algum tempo,se não me engano em uma vez que você comentou no blog do Luciano Ayan, aproveitei pra fuçar e tenho que dizer que achei muito bom hehe.Visito sempre que posso quando em busca de umas doses de bom senso.
    A resposta ao artigo do pragmatismo está muito boa.A quantidade de chavões e fraudes nas produções dos articulistas daquele portal é gritante. Todo os textos mais ''lunáticos' de esquerda/extrema-esquerda são bem-vindos lá, a exemplo daquele clássico depois interpretado pelos ''racistas ao inverso'' da Renajune, ''Essa conversa não é sobre você'', suscesso no portal na época de publicação.

    Agora um ponto que notei, bastante curioso, foi a definição usada para Reacionário, como o que defende um ''retorno,regressão'',apesar de o termo, tendo em vista essa definição apresentada, ser amplamente utilizado(se não o mais,só perdendo talvez para o clássico ''facista'') pelos militantes de esquerda nas redes sociais contra qualquer um que discorde de uma vírgula de suas proposições.
    Penso que pouco(pouquíssimo,na verdade) adianta discutir o verdadeiro significado do termo e a incoerência no âmbito da discussão política visto o uso já ''marginalizado'' do mesmo no mundo dos debates. Dá pra perceber muito claramente uma distinção do sentido original(e talvez legítimo, o por você apresentado nos textos) de Reacionário e seu sentido adotado pelas interwebs.
    Se você parar para analisar, o rótulo ''reaça'' é tão marginalizado e difundido pelas interwebs que muitos blogguers de direita(a maioria desses, inclusive, liberais) já adotaram o termo, se auto designando como ''reaças''. Exemplo disso é a galera do Implicante.org, entre eles os notáveis Flávio Morgenstern e Angelo DaC.I.A, fato que inclusive se percebe com ainda mais clareza com a criação da ''Reaçonaria''.
    O fato é que o rótulo ''reacionário'' é aceito devido a marginalização de seu uso,deturpação de seu significado oficial e outros fatores, e utilizado mais no sentido da frase se não me engano proferida por Nelson Rodrigues:''Sou reacionário.Reajo contra tudo o que não presta''. Tendo em vista o uso do rótulo como sinônimo de ''aquele que reage a uma proposição de mudança'' ou ''aquele que reage uma ideía esquerdista'', que é a interpretação sem dúvidas mais frequente, consigo perceber que ele tem menos efeito negativo até mesmo que ''conservador''.
    Eu pessoalmente não nego o rótulo de ''reaça'',sempre que sou assim rotulado retruco: ''sim, sou um reacionário não conservador, a favor de cotas sociais provisórias, casamento gay,lei maria-da penha ,legalização da maconha, etc.''.Gosto de me definir como centro-direita liberal, com apoio a algumas propostas de caráter esquerdista. Mesmo assim,sou rotulado como reaça por um ativista mais radical. Fazer o quê? rsrs qualquer um que se posicione contra um pensamento de direita, seja este um extremista skinhead, conservador, liberal, libertário anarcocapitalista,minarquista ou seja o que for, é rotulado de reaça.
    Creio que o ideal para os que fazem oposição á esquerda não é eliminar o rótulo reacionário, mas eliminar a ''relaçao nescessária'' feita na psique de muitos entre ''reaça'' e conservadorismo(visto que a maior parte dos assim rotulados sequer conservadores são), em outras palavras, colocar o reacionário como sendo sinônimo de ''aquele que reaje ao que acha que não presta''.Coisa que todo mundo é, de alguma forma.


    Enfim, belo texto, e termino aqui com uma sugestão de temapara um futuro texto seu: as definições usadas de ''reacionário'',tendo destaque ao sentido original( e provavelmente, legítimo) e o ''marginalizado''.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Valdir.

    Pelo visto, comentar no blog daquele feio do Luciano Ayan me deu resultados bons. Queria saber: já leu as postagens mais recentes?

    Gostei muito dessa sua explicação e sugestão sobre "reaças", mas, ainda assim, dificilmente voltarei ao assunto, pois só me "aprocheguei" a ele por ser uma situação de emergência, rs.

    Bom, como percebeu, não ando postando muito nos últimos dias, mas prometo que voltarei com tudo, quando voltar. Enquanto isso, divirta-se com os outros posts e muito prazer!

    ResponderExcluir
  3. ''Pelo visto, comentar no blog daquele feio do Luciano Ayan me deu resultados bons. Queria saber: já leu as postagens mais recentes?''

    Textos recentes dele ou dos seus?
    Caso estiver falando dele, ele postou 2 textos muito bons,entre outros, nas últimas semanas, sendo um o esboço de seu futuro livro e outro intitulado ''O admirável mundo novo dos debates''. Por outro lado, discordo bastante das postagens pró-Feliciano. Entendo os motivos dele, mas discordo veemente.

    ResponderExcluir
  4. Falo dos meus, Valdir, mas não deixo de concordar com você quando diz que os últimos textos dele são bons. Acredite, porém, que de pró-Feliciano o Ayan não tem nada.

    ResponderExcluir