11 de abr de 2012

Ode ao Falso Moralismo

Bom, pessoal, para alguns eu já adiantei como seria esta postagem. Será o primeiro poema meu aqui colocado. Antes de lê-lo, preparem o calmante, afofem o travesseiro e façam o que mais for necessário para terem uma boa noite de sono após isso. Aqui vai o poema, que versa sobre falso moralismo:


Ode ao Falso Moralismo
 
Há muitos séculos nasci,
falso moralismo me chamaram,
na era cristã adultesci,
mas já na infância me empregaram

Bem considerado e quisto sempre fui,
mas quando me revelo, um império rui.
Do imperialismo árabe ao judeu*,
sempre superei o desejo de ética ateu

De Roma à Inglaterra **,
fui o verídico rei da Terra.
Da África subsaariana aos hebreus,
os decadentes usavam dizeres meus.

Mas agora, que ironia,
alguns comunistas revolucionários,
a quem chamo de otários,
querem minha aposentadoria.

Ora, quanta ingenuidade.
Afinal, querer me derrubar é loucura
pois, com tantos defensores
que por mim fazem horrores,
os opositores só enfrentarão penúria
e reduzirão da própria vida a longevidade.


*Imperialismo judeu: Israel
** EUA foi trocado por Inglaterra apenas por fins de rima.

2 comentários:

  1. Adorei esse post,e o melhor é que é totalmente verdadeiro...é difícil derrubar a religião,mesmo a mesma perdendo força com o tempo

    ResponderExcluir
  2. Então, cara, não pensei só em religião quando escrevi. Há falso moralismo em todo lugar.

    ResponderExcluir