1 de mar de 2012

Profissionalismo: Mistificação ou Mistificação?

Bom, pessoal, hoje discorrerei um pouco sobre a questão do profissionalismo. Este texto será ainda menos aprofundado que os outros então, se virem qualquer problema ou discordarem de algum ponto, é só comentar. Enfim, boa leitura.


“No Brasil, nada se cria, nada se perde, tudo se deturpa”

A questão do profissionalismo, apesar de pouco valorizada, tem papel bastante relevante para a compreensão do panorama socioeconômico existente no Brasil. Mesmo com algumas raras exceções, o brasileiro é um cidadão notoriamente esforçado, trabalhador e honesto.
Entretanto, apenas esses bons atributos não foram e nem serão suficientes para um nível satisfatório de desenvolvimento nacional. O atributo em falta aparece na forma do profissionalismo. Aqueles que se destacam em qualquer segmento são rechaçados por colegas de emprego e “convidados” a um isolamento nefasto, transformando-se em motivo de pilhéria para os isoladores.
O exemplo mais barbaresco de tal fato mostra-se ao decorrer dos anos escolares. Os estudantes que acabam ganhando destaque e/ou notoriedade pelas vias do conhecimento são, além de rotulados como “nerds”, “CDFs” e tantos outros adjetivos, isolados do grupo por parte de pessoas que se portam de forma antiética e distorcem o grande ideal profissionalista, aniquilando profissionais potencialmente bons e impedindo o desenvolvimento mais ágil e seguro do país.
Em síntese, torna-se impossível pensar em crescimento nacional sem a aceitação ampla e geral dos profissionais, sem rotulá-los ou sacanizá-los. Não adianta esforço se o mesmo é aliado à falta de respeito e de ética para com os esforçados

Nenhum comentário:

Postar um comentário